Empréstimo pessoal: troque suas dívidas de juros altos por juros menores


Kelly Sikkema/Unsplash

O cartão de crédito pode ser um grande aliado das finanças. Com ele, é possível parcelar pagamentos sem juros, ter até 40 dias para pagar por uma despesa e, de quebra, ainda concentrar boa parte dos gastos em uma conta só. Mas, como tudo na vida, ele também tem suas desvantagens, a começar pela cobrança de juros altos pelo atraso no pagamento da fatura. Para quem se encontra nessa situação, já pensou em conseguir um empréstimo pessoal para quitar as dívidas e colocar a vida em dia?

Graças às taxas de juros mais em conta, o crédito pessoal permite que você pague valores atrasados, fugindo do temido juro rotativo. Saiba quando e por que essa opção é vantajosa, quais são as modalidades disponíveis e o que fazer para encontrar um bom negócio.

 

Afinal, o que é o crédito rotativo do cartão?

Quando solicitamos um cartão de crédito, o emissor faz uma análise para determinar o limite que estará disponível a cada mês. Esse limite é calculado com base no nosso potencial de pagamento, e é como se fosse um empréstimo mensal. Ou seja, você utiliza o cartão de crédito para arcar com suas despesas e só paga no vencimento da fatura.

Até aí, tudo certo! O prejuízo começa quando, por algum motivo, o cliente não tem condições de fazer o pagamento dentro do prazo. Nesses casos, ele entra no chamado crédito rotativo. Acionado sempre que um cliente atrasa ou faz o pagamento mínimo da fatura, esse tipo de "empréstimo" trabalha com uma das taxas de juros mais caras do mercado – em torno de 14% ao mês. Além disso, quem atrasa o pagamentos também está sujeito à multa e juros de mora.

Até o ano passado, quem entrava no crédito rotativo poderia ficar nele por tempo indeterminado, até que o pagamento integral fosse realizado. Porém, novas regras do Banco Central estabeleceram que o crédito rotativo pode ser válido apenas por um mês. Após esse período, os bancos são obrigados a oferecer uma linha de crédito melhor, com parcelamento da dívida.

 

Empréstimo pessoal: juros melhores para quitar sua dívida

Mesmo com as mudanças nas regras do juro rotativo, as taxas cobradas pelos bancos para financiamento da dívida no cartão ainda assim são altas. Embora variem de banco para banco, em geral, elas ficam em torno de 10% ao mês. Mas o bom é que você não precisa ficar preso a essas taxas. Em vez disso, é possível buscar um crédito pessoal.

Com taxas de juros a partir de 4% ao mês — 2,5 vezes menos que a média dos juros cobrados pelos bancos no financiamento da dívida no rotativo —, esse tipo de empréstimo é uma boa alternativa para pagar as quitar as contas atrasadas do cartão. Com ele, você troca taxas de juros altas por outras menores e organiza as finanças com parcelas fixas, que cabem no seu bolso. Sem contar que, depois de aprovado e contratado, em pouco tempo o dinheiro cai na sua conta, evitando a cobrança prolongada de juros de mora e outros encargos.

 

O refinanciamento de imóvel ou de veículo também é uma opção


Cmdr Shane/Unsplash

Para quem tem um imóvel ou veículo quitado no próprio nome, outra opção para trocar juros altos por outros mais baratos é o refinanciamento. Nesta modalidade de empréstimo, é preciso deixar um bem (imóvel ou veículo) de garantia. Como a instituição financeira não fica completamente descoberta em caso de inadimplência, os juros são ainda mais baixos. Em média, eles começam a partir de 1,5% ao mês. Além disso, os prazos para parcelamento são maiores e a quantia emprestada pode chegar a até 70% do valor do bem.

Ah! É importante destacar que, por conta das taxas de juros atraentes, tanto o empréstimo pessoal tradicional quanto o refinanciamento de imóvel ou de veículo podem ser muito vantajosos para quitar outras dívidas, não apenas a do cartão de crédito. Cheque especial e até atraso no pagamento do aluguel são exemplos de dívidas que podem sair mais caras que a contratação de um empréstimo. Faça as contas e descubra se a situação se aplica a você!

 

FinanZero: mais facilidade para buscar, comparar e contratar crédito

Ainda que, na maior parte das vezes, as taxas de juros do empréstimo pessoal e do refinanciamento sejam menores que as do crédito rotativo e do cheque especial, a verdade é que elas podem mudar muito de uma instituição para outra, e de acordo com o perfil do cliente. Por isso mesmo, o segredo para fazer um bom negócio é buscar o maior número de propostas possível e comparar fatores como parcelamento e Custo Efetivo Total (CET).

Quer uma dica de como fazer isso de um jeito simples, rápido e sem sair de casa? É só acessar a plataforma da FinanZero! Parceira da CartãoJá, ela conta com tecnologia sueca e tem parceria somente com instituições financeiras autorizadas pelo Banco Central. Depois de fazer uma simulação, você recebe até 10 ofertas de crédito pré-aprovadas para comparar. E, o que é melhor: sem pagar nada a mais por isso. Acesse e veja como funciona!

Quando falta dinheiro para pagar as contas ou tirar planos do papel, o empréstimo surge como uma boa opção para colocar as finanças em dia. Nessas horas, as modalidades mais lembradas pelos brasileiros são o empréstimo pessoal e o consignado. Bastante práticas, elas costumam ser rápidas na análise de crédito. Por outro lado, trabalham com taxas de juros superiores a outras linhas de crédito, como o empréstimo com garantia.

Também conhecida como refinanciamento, essa modalidade de empréstimo exige que o cliente deixe um veículo ou imóvel como garantia no contrato. Mas não se preocupe! Embora seu bem fique alienado, você pode continuar a usá-lo normalmente. Abaixo, explicamos como funciona empréstimo com garantia e esclarecemos algumas das principais dúvidas sobre ele.

 

Empréstimo com garantia: entenda quando e por que ele é vantajoso


Foto: Tierra Mallorca

Para entender como funciona empréstimo com garantia, vamos imaginar que, certo dia, um conhecido pede dinheiro emprestado a você. Porém, em vez de ficar só na palavra, a pessoa escolhe deixar algo de valor em suas mãos. Nesse caso, é provável que você se sinta bem mais confiante para emprestar dinheiro para ela, não é mesmo?

É exatamente isso que ocorre no refinanciamento de imóvel ou de veículo! Como os bancos e financeiras ficam com um bem de garantia em caso de inadimplência, eles ganham mais confiança para liberar o crédito. Com isso, as taxas de juros aplicadas tendem a ser mais baixas que as de outras modalidades de empréstimo, como o pessoal.

Também por conta do bem deixado em garantia, outras duas vantagens do refinanciamento são o valor do crédito liberado e o prazo para pagamento. Dependendo do contrato, a grana emprestada pode chegar a 70% do valor estimado do veículo ou 60% do valor do imóvel. Além disso, é possível conseguir até 20 anos para fazer o pagamento (refinanciamento de imóvel).

 

5 dúvidas respondidas sobre o empréstimo com garantia


Foto: Volkan Olmez

Apesar de vantajoso no que diz respeito às taxas, o empréstimo com garantia de veículo ou de imóvel ainda gera muitas dúvidas entre os consumidores. Por exemplo: o que acontece quando eu atraso as parcelas do empréstimo? Ou ainda, quais tipos de bens podem servir de garantia? Confira a resposta para essas e outras perguntas a seguir.

1. Quais veículos ou imóveis podem ser usados no empréstimo com garantia?

Antes de mais nada, é fundamental que tanto o veículo quanto o imóvel estejam quitados em seu nome. Essa é a principal exigência. Dito isso, podem ser colocados no contrato carros, motos e imóveis comerciais ou residenciais, além de terrenos em área urbana. No caso dos veículos, eles devem estar obrigatoriamente em boas condições e em funcionamento. Além disso, é fundamental que os bens colocados em garantia estejam com toda a documentação em dia, incluindo pagamento de impostos como IPTU e IPVA.

2. Posso conseguir empréstimo com garantia mesmo estando negativado?

Sim, nesta modalidade você pode obter um empréstimo mesmo estando negativado! Embora no refinanciamento também seja feita uma análise de crédito, na qual a instituição financeira avalia renda mensal, histórico de pagamento, entre outros fatores, quem está com o nome sujo também tem chance de ser aprovado, já que o bem deixado como garantia diminui os riscos para a empresa credora.

3. Como fica a situação do veículo ou imóvel até o fim do contrato?

No refinanciamento, o veículo ou imóvel é deixado de garantia por meio de uma operação chamada alienação fiduciária. Na prática, ela significa que a propriedade do bem é transferida do cliente para a empresa credora por tempo determinado. Nesse sentido, é importante destacar que, durante esse período, o cliente pode continuar usando o veículo e morando no imóvel normalmente. Uma vez quitadas todas as parcelas, a propriedade do bem volta para o cliente.

4. Quem determina o valor do bem que será usado de garantia no empréstimo?

Além de apresentar toda a documentação do bem deixado em garantia — identidade, comprovante de renda, comprovante de endereço e documentos do veículo ou imóvel —, no refinanciamento, também é preciso que ele passe por uma vistoria. Nela, são levados em consideração fatores como conservação e valor de mercado do veículo ou imóvel.

5. O que acontece se eu atrasar o pagamento das parcelas?

Depois de 3 parcelas atrasadas, a instituição financeira já pode iniciar o processo para tomada do bem como forma de quitar a dívida. Trata-se de um processo demorado e custoso que envolve levar o veículo ou imóvel a leilão para recuperar o dinheiro emprestado. Por isso mesmo, em geral, ele não costuma ser a primeira opção das empresas para a quitação da dívida, o que não significa que você não corra o risco de perder o bem. Afinal, ele foi deixado como garantia! Sendo assim, antes de contratar um refinanciamento, é importante fazer as contas e se planejar para fazer os pagamentos sempre em dia.

 

Seja na hora de pegar um empréstimo pessoal ou ao contratar um empréstimo com garantia, uma dica para fazer um bom negócio é comparar o maior número de ofertas de crédito que puder. Para isso, ao invés de bater de porta em porta, peça uma simulação de empréstimo na FinanZero, empresa parceira da CartãoJá! Com ela, você recebe até 10 ofertas de crédito pré-aprovadas de forma gratuita e sem sair de casa.

Solicite já cotações de empréstimo